Script de estatística do portal - depende da habilitação de javascript.

Ministério da Saude SUS Governo Federal

O Ministério da Saúde é o órgão do Poder Executivo Federal responsável pela organização e elaboração de planos e políticas públicas voltados para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros.

Bloco G - Esplanada dos Ministérios, Brasília - DF 70058-900 Telefone:(61) 3315-2425 | Disque 136 Ouvidoria Geral do SUS Horas: quinta-feira 08:00 – 18:00

Portal da Saúde

Saúde do Viajante

PREPARATIVOS PARA A VIAGEM

 

Antes da viagem

  • Evite viajar doente;
  • Procure seu médico, preferencialmente, entre 4 e 8 semanas antes da viagem para informar seu roteiro. Peça orientações sobre cuidados para proteção contra doenças e lesões;
  • Você pode ter dificuldade ou não encontrar os medicamentos que utiliza habitualmente durante a viagem. Peça orientação ao seu médico sobre quais medicamentos e em que quantidade deve levar durante a viagem, incluindo a bagagem de mão;
  • Acondicione os medicamentos de acordo com as normas do fabricante e acompanhado da caixa e bula originais;
  • Alimente-se antes de viajar. Coma o que está acostumado, evitando gorduras, pois podem causar mal-estar durante a viagem;

 

No avião

  • Siga as regras exigidas pelas companhias aéreas para o transporte de objetos e líquidos;
  • Se você sentir alteração em seu estado de saúde na viagem, avise aos tripulantes;
  • Toda gestante deve consultar seu médico antes da viagem, pois estará sujeita a vários riscos e a viagem pode afetar sua segurança e conforto;
  • Antes de viajar consulte a empresa de transporte sobre as regras específicas para gestantes.

 

Seu destino

  • Para ter uma estadia segura e saudável no Brasil, informe-se com antecedência sobre os destinos dentro do país, pois você poderá encontrar diferenças de clima e nos hábitos alimentares e culturais;
  • Ao decidir seu roteiro, planeje as atividades de interesse e tome medidas preventivas de saúde;
  • Conheça o local para onde vai viajar. Saiba se há risco de doenças e necessidades de vacinas ou outras medidas preventivas. Acesso o link: http://www.anvisa.gov.br/viajante/  - Verifique as orientações para o país de destino – Insira o país de destino;
  • Procure seu médico, preferencialmente, entre 4 e 8 semanas antes da viagem para informar seu roteiro. Peça orientações sobre cuidados para proteção contra doenças e lesões;

 

 

VÍRUS ZIKA

 

Independente do destino ou motivo da viagem ao Brasil, é importante que o viajante adote medidas para reforçar a proteção contra o mosquito Aedes aegypti.

Hospede-se em locais que disponham de telas de proteção nas portas e janelas, especialmente se estiver longe das capitais. O ar-condicionado e o ventilador também são barreiras de proteção contra o mosquito.

Sempre que possível, proteja o corpo com roupas de mangas longas, calças meias e sapatos fechados e/ou use repelentes nas áreas expostas da pele, seguindo a orientação do fabricante.

O vírus Zika também pode ser transmitido por meio das relações sexuais, portanto, use camisinha sempre.

Manchas vermelhas na pele, coceira, febre (alta ou baixa), dor no corpo ou nos olhos, são sintomas que podem estar associados à dengue, Chikungunya ou ao vírus Zika. Caso apresente um desses sintomas, não tome nenhum remédio por conta própria, procure o serviço de saúde do Brasil e faça uma consulta com um médico. Beba muito líquido.



GESTANTES

É importante reforçar que, em qualquer situação, as gestantes precisam consultar seu médico antes de viajar e que é necessário um cuidado especial em viagens.

Elas devem usar apenas repelentes recomendados para esse período (aqueles à base de DEET, icaridin, ou picaridin e IR 3535ou EBAAP), usar roupas de manga longa e se hospedar em locais com telas de proteção e evitar áreas de maior incidência do vírus zika e da malária.

Devem evitar ambientes com presença de mosquitos sem as medidas de proteção recomendadas e localidades onde há a presença de maior quantidade de insetos.

Há relatos de casos de transmissão do vírus Zika entre parceiros durante as relações sexuais, portanto, use camisinha sempre.

Se houver qualquer alteração no seu estado de saúde, comunique o fato aos profissionais de saúde para acompanhamento da gestação. Beba muito líquido.




VACINAS

Embora no Brasil não haja obrigatoriedade de apresentação do certificado de vacinação para entrada no país, o Ministério da Saúde recomenda que os turistas estejam com seu cartão de vacinação em dia, conforme as orientações do calendário de vacinação de origem ou residência, pelo menos 10 dias antes da viagem.

Febre Amarela

Se você vai fazer algum tipo de turismo ecológico, em áreas rurais ou de matas (Áreas com Recomendação de Vacinação – ACRV), a vacina contra a febre amarela é altamente recomendada. Vacinar, de acordo com as normas do Programa Nacional de Imunizações, pelo menos 10 dias antes da viagem.

Lista de municípios conforme áreas de recomendação para vacinação

O Ministério da Saúde recomenda que ao viajar para o Brasil os turistas atualizem sua caderneta de vacina para as seguintes doenças:

• INFLUENZA (Gripe):O Brasil adota a vacinação de grupos de risco entre os meses de abril e maio, anualmente, antes do período de maior incidência da doença.

• SARAMPO:Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Panamericana da Saúde, a certificação de eliminação do sarampo, o que reconhece o fim da transmissão da doença em todo o continente americano. No entanto, a população recebe a vacina preventiva para evitar que o vírus retorne ao país considerando que ele ainda afeta outras regiões do mundo. RUBÉOLA: O Brasil está oficialmente livre da rubéola e da Síndrome da Rubéola Congênita (SRC) e não registra casos da transmissão endêmica. A vacina ainda é essencial para evitar o retorno da doença.

• HEPATITE A: O Brasil recomenda a vacinação prévia porque você pode obter a hepatite A por meio de alimentos ou água contaminados. Independente do país que você viaje.

• HEPATITE B:
Você pode pegar hepatite B por meio do contato sexual, agulhas contaminadas, e produtos derivados do sangue. O Brasil recomenda a vacinação se você for fazer uma tatuagem ou piercing, ou se você for gestante.

 

 

MALÁRIA

No Brasil, a transmissão da Malária concentra-se na Região Amazônica, composta pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Nessas áreas, os mosquitos da Malária têm maior atividade do fim da tarde ao amanhecer.

 

Como se prevenir?

1 – Usar roupas claras e com manga longa durante as atividades de exposição elevada.
2 - Aplicar repelente nas áreas expostas da pele, seguindo a orientação do fabricante.
3 - Ficar atento ao surgimento de sintomas da doença, como febre, dor no corpo e dor de cabeça.
4 - Em caso de manifestação de algum desses sintomas, procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo.
Atenção a malária pode matar.

 

 

Que cuidados eu preciso ter antes de fazer a viagem?

É importante conhecer, com antecedência, os cuidados que devem ser tomados com a saúde. Consulte seu médico para uma avaliação, principalmente se for portador de alguma doença. Evite viajar na vigência de qualquer doença infecciosa aguda. Se precisar fazer uso de medicamentos durante a viagem, obtenha a prescrição médica e a mantenha com você. Lembre-se de adquirir medicamentos suficientes para toda a viagem.

Devo me consultar mesmo viajando dentro do Brasil?

Sim. Muitas pessoas sentem-se mais seguras quando viajam para destinos próximos de onde moram e acabam por aumentar a exposição a certos riscos quando, por exemplo, são menos cuidadosas no consumo de alimentos e bebidas ou no uso do repelente. Além disso, vivemos em um país de dimensões continentais, com grandes variações climáticas e condições de saúde pública muito distinta de um estado para o outro. A medicina do viajante considera estes e outros importantes fatores o que possibilita estabelecer os riscos e a prevenção. Por essa razão, vai sempre trazer benefícios para a proteção, mesmo que a pessoa esteja retornando para sua cidade de origem após anos morando em outro município ou estado.

Estou grávida posso viajar de avião?

A orientação dos médicos é que só se deve viajar de avião entre o terceiro e o sétimo mês (preferencialmente até a 32ª semana). Antes disso o feto ainda está em formação, e após esse período há risco de parto prematuro. Mulheres com gestações múltiplas (de dois ou mais bebês) devem tomar cuidado redobrado. Para elas, recomenda-se não viajar a partir da 28ª semana.

A Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo) recomenda às companhias aéreas que peçam uma autorização médica para as grávidas que viajarem a partir da 36ª semana (32ª, no caso de gestações múltiplas). Muitas empresas fazem essa exigência, mas a semana em que ela é obrigatória pode variar.

Como devo agir se ficar doente durante o vôo?

Se você ficar doente dentro da aeronave, comunique o fato à equipe de bordo, que tomará as devidas providências e alertará os serviços de saúde do local para onde você está se deslocando. Em deslocamentos com mais de quatro horas, a imobilidade prolongada aumenta o risco de trombose venosa. Por isso, procure se exercitar a cada duas ou três horas.

Preciso tomar alguma vacina para entrar no Brasil?

Atualmente, a Organização Mundial da Saúde define a vacinação contra Febre Amarela como a única exigência para o ingresso nos países signatários do Regulamento Sanitário Internacional que adotam essa medida. O Brasil não faz exigência vacinal para viajantes. Para maior proteção de sua saúde, recomenda-se manter atualizado seu cartão de vacinação, especialmente contra febre amarela, influenza e sarampo. É importante observar que, para atingir a proteção necessária, cada vacina tem um período que pode variar entre dez dias a seis semanas. Por isso, vacine-se com antecedência.

Onde posso encontrar o serviço de atendimento à saúde do viajante?

Veja lista de centros de orientação para a saúde do viajante.

Devo consultar um médico antes de viajar?

O aconselhamento médico é uma etapa importante no planejamento de uma viagem. O risco de adoecimento depende de fatores como a susceptibilidade do indivíduo (influenciada por antecedentes vacinais e de doenças, doenças concomitantes e utilização de medicamentos) e as características da viagem programada (roteiro, época do ano, duração, tipo de atividade, condições de alojamento, disponibilidade de assistência médica).

Antes de viajar, os indivíduos com doenças crônicas devem consultar seu médico, informar-se sobre a qualidade da assistência médica no local de destino e se certificar da cobertura do plano de saúde ou seguro de viagem. As mudanças na alimentação, na atividade física, na altitude, na temperatura e no fuso horário podem descompensar doenças preexistentes. Em regiões montanhosas, mesmo para pessoas saudáveis, podem existir riscos relacionados à altitude e à exposição excessiva à luz solar.

Recomendações aos Viajantes:

O risco de violência e acidentes deve sempre ser considerado durante as viagens. Em qualquer local do mundo, o viajante pode ser vítima de assaltos, furtos e violência sexual. O viajante deve ter cautela durante os deslocamentos no local de destino. Fatores como dirigir em local desconhecido, trafego em mão inglesa, cansaço excessivo e ingestão de bebidas alcoólicas contribuem para a ocorrência de acidentes de trânsito, uma das principais causas de hospitalização e morte entre os viajantes. A realização de atividades aquáticas não habituais (natação, mergulho, passeios de barco) é muito comum durante as viagens, principalmente entre os mais jovens, e o afogamento é a segunda causa mais comum de fatalidades entre viajantes.

Sites importantes:

http://wwwnc.cdc.gov/travel
http://www.who.int/malaria/travellers/en/
http://ecdc.europa.eu/en/Pages/home.aspx
http://www.anvisa.gov.br/viajante

Saúde baseada em evidências
Disque Saúde - Ouvidoria Geral do SUS
Ministério da Saúde - Governo Federal - Brasil