Script de estatística do portal - depende da habilitação de javascript.

Ministério da Saude SUS Governo Federal

O Ministério da Saúde é o órgão do Poder Executivo Federal responsável pela organização e elaboração de planos e políticas públicas voltados para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros.

Bloco G - Esplanada dos Ministérios, Brasília - DF 70058-900 Telefone:(61) 3315-2425 | Disque 136 Ouvidoria Geral do SUS Horas: quinta-feira 08:00 – 18:00

Portal da Saúde

Data de Cadastro: 29/04/2015 as 10:04:25 alterado em 29/04/2015 as 14:04:08

A Secretaria de Vigilância em Saúde informa que desde o final de fevereiro monitora o registro de casos de doença exantemática na Região Nordeste. Segundo as notificações compartilhadas pelas Secretarias de Saúde dos estados da Bahia, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Paraíba, todos os casos apresentam evolução benigna com regressão espontânea, mesmo sem intervenção clínica.

Segundo informações repassadas para o Ministério da Saúde, até o momento foram identificados 6.807 casos da doença exantemática naquela região. Vale ressaltar que não há registro de casos graves ou óbitos pela doença.

Os sinais e sintomas mais frequentes são exantemas (manchas vermelhas) e prurido (coceira). Em menor proporção, foram notificados casos com febre baixa ou sem febre, acompanhados ou não de dor de cabeça, dor ou inchaço nas articulações e dor muscular. A faixa etária de 20 a 40 anos foi a mais acometida. Porém há relatos de pacientes com quatro meses de vida e outro com 98 anos de idade.

Segundo as características clínicas, as principais hipóteses consideradas nas investigações são: dengue, rubéola, parvovírus B19, chikungunya e sarampo, além de outros arbovírus e enterovírus. Até o momento, entre 425 amostras coletadas e testadas, aproximadamente 13% foram reagentes para dengue. No entanto, as características clínicas disponíveis por enquanto não permitem caracterizar o evento apenas como casos de dengue. Algumas amostras testadas para sarampo, rubéola, chikungunya e parvovírus foram negativas.

Com o objetivo de identificar o agente causador desta doença exantemática e para propor medidas de prevenção e controle adequadas, a SVS  realiza investigações de campo em colaboração com as Secretarias de Saúde do Maranhão, Rio Grande do Norte e Paraíba. Nestas investigações, são levantados aspectos clínicos dos pacientes e coletadas amostras, a principio de sangue, as quais serão encaminhadas para os laboratórios de referência estaduais e nacionais.

Simultaneamente, todas as vigilâncias em saúde dos estados e municípios do Nordeste continuam investigando e monitorando os casos. A SVS e as Secretarias de Saúde dos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe realizam o monitoramento sistemático por meio dos Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS).

 

 

Saúde baseada em evidências
Disque Saúde - Ouvidoria Geral do SUS
Ministério da Saúde - Governo Federal - Brasil