Script de estatística do portal - depende da habilitação de javascript.

Ministério da Saude SUS Governo Federal

O Ministério da Saúde é o órgão do Poder Executivo Federal responsável pela organização e elaboração de planos e políticas públicas voltados para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros.

Bloco G - Esplanada dos Ministérios, Brasília - DF 70058-900 Telefone:(61) 3315-2425 | Disque 136 Ouvidoria Geral do SUS Horas: quinta-feira 08:00 – 18:00

Portal da Saúde



Profissionais de saúde com formação universitária têm uma nova oportunidade para se capacitar na temática da Pessoa idosa. A Secretaria Executiva, da Universidade Aberta do SUS (SE/UNA-SUS), abriu nova turma para o curso online “Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa - Módulo 1” na terça-feira (24/01). Profissionais de outras áreas do conhecimento interessados no tema também podem se matricular.

As inscrições podem ser feitas até o dia 21 de maio, pelo link. A capacitação é uma ação do Ministério da Saúde (MS), por meio da Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa (Cosapi/Dapes/SAS/MS), em parceria com a SE/UNA-SUS.

Lançada originalmente em julho de 2016, a primeira oferta do curso teve mais de 20.950 inscritos. Entre os matriculados, os enfermeiros foram a categoria de maior representatividade (28,54%), seguidos pelos técnicos de enfermagem (22,82%) e médicos (7,88%). Os estados com o maior número de matrículas foram São Paulo (1.312), Minas Gerais (1.073), e Rio Grande do Sul (658).

O foco principal da formação é capacitar os profissionais de saúde para o atendimento integral e humanizado desse grupo populacional, com base na Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (PNSPI).

Curso - De acordo com a coordenadora de produção do curso e consultora da SE/UNA-SUS, Laura Gris, a capacitação traz orientações para um tratamento holístico, que leva em conta o contexto social do paciente. “O atendimento se qualifica quando o trabalhador da saúde atua de forma humanizada, considerando o idoso dentro da sociedade e do ambiente que ele vive, como parte do sistema de saúde. O profissional não vai tratar a doença e sim a pessoa”, afirma Laura.

Os conteúdos da capacitação também consideram que o tratamento dessa população tem suas particularidades, pois esses pacientes tem uma bagagem maior de doenças e respondem clinicamente de forma diferente. Nesse sentido, o médico consultor da SE/UNA-SUS, Paulo Coury, explica que o curso traz orientações para o “fenômeno do Iceberg”, no qual alguns problemas comuns em idosos não geram queixas durante um longo período de sua evolução, podendo permanecer ocultos, submersos, como a parte principal de um iceberg.

“Outros problemas são evidentes, mas não são reconhecidos por uma equipe sem treinamento. Entretanto, mesmo não diagnosticados, pioram a qualidade de vida, como a ocorrência de incontinência urinária; oferecem risco, como o de fraturas por osteoporose, e podem trazer consequências muito significativas em médio prazo, como a perda de visão provocada pelo glaucoma”, esclarece Paulo.

São cinco unidades, que tratam dos temas: Envelhecimento Populacional, Ações Estratégicas, Avaliação Multidimensional e Condições Clínicas e Trabalho em Equipe. As questões clínicas abordadas são aquelas prevalentes nesse grupo populacional. O curso aborda de maneira ampliada os chamados “Gigantes da Geriatria”: as síndromes geriátricas cujo diagnóstico e manejo é extremamente complexo, baseadas em depressão, demência e delirium, incontinências, instabilidade postural, quedas e fraturas, imobilidade e iatrogenia. “Não é um curso de geriatria, apesar de conter casos clínicos encontrados no cotidiano das equipes de saúde”, explica o médico. Outros agravos como Parkinson, Alzheimer, diabetes, neoplasias de mama, cólon, reto e próstata, hipertensão arterial e suas consequências diretas também são abordadas.

A médica de Santa Rosa (RS) Adriana Maria de Almeida participou da primeira oferta do curso, motivada pelo grande número de pacientes idosos que atende. Ela conta que aplica os conhecimentos adquiridos no seu dia-a-dia de atuação, já que procura realizar a avaliação multidimensional em suas consultas. “Os conteúdos foram tratados de maneira bem humanizada. Meu principal aprendizado foi de que a abordagem do idoso deve ser diferenciada de demais pacientes”, afirma.

Para a enfermeira Olga Rodrigues, uma das reesconteudistas do curso, a capacitação é um convite à reflexão sobre a população idosa. “As ferramentas disponibilizadas podem levar o aluno a ampliar o seu olhar sobre esse grupo, analisando melhor os riscos-benefícios de determinadas intervenções e, especialmente, qualificando a escuta das queixas, promovendo a saúde e também a inclusão social dos idosos”, esclarece.

Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa – Módulo 1
Matrículas: até o dia 08 de novembro de 2017, pelo link
Mais informações na página do curso

Assessoria Dapes com informação da Ascom UNA-SUS

Saúde baseada em evidências
Disque Saúde - Ouvidoria Geral do SUS
Ministério da Saúde - Governo Federal - Brasil