Script de estatística do portal - depende da habilitação de javascript.

Ministério da Saude SUS Governo Federal

O Ministério da Saúde é o órgão do Poder Executivo Federal responsável pela organização e elaboração de planos e políticas públicas voltados para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros.

Bloco G - Esplanada dos Ministérios, Brasília - DF 70058-900 Telefone:(61) 3315-2425 | Disque 136 Ouvidoria Geral do SUS Horas: quinta-feira 08:00 – 18:00

Portal da Saúde

 

 

A redução da mortalidade materno-infantil é uma das prioridades do Ministério da Saúde, que vem investido em projetos para qualificação da assistência à saúde da mulher e do recém-nascido, prestada tanto em ambientes hospitalares quanto por parteiras nas regiões onde estas profissionais têm grande atuação.

No Brasil, o número exato de parteiras em atividade ainda não é conhecido, mas acredita-se que a maioria delas está concentrada nas regiões Norte e Nordeste. Sabe-se que nestas regiões as parteiras são responsáveis por mais de 40% dos partos realizados, principalmente nas zonas rurais.

Geralmente esta população vive em comunidades às margens dos igarapés e lagos, afastadas dos centros urbanos, de difícil acesso às unidades básicas de saúde. Nestas localidades, as parteiras exercem papel fundamental na assistência às mulheres e aos recém-nascidos, principalmente porque elas não assistem somente ao parto, mas também avaliam o bem-estar do recém-nascido; estimulam o registro de nascimento; orientam as mulheres quantos aos cuidados com sua saúde e com a do recém-nascido; orientam sobre o aleitamento materno, vacinas e sobre o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança.

Projeto de Capacitação de Parteiras Tradicionais

Dado o contexto acima, o Ministério da Saúde, por meio das Coordenações de Saúde da Criança e Saúde da Mulher, em parceria com a Sociedade Brasileira de Pediatria, o Grupo Curumim, a Universidade do Maranhão e Fundação Sesp, lançou em 2000 o programa Trabalhando com Parteiras Tradicionais, inserindo-o entre as estratégias para a redução da morbimortalidade materna e neonatal e para a qualificação e humanização da assistência obstétrica e neonatal.

O programa Trabalhando com Parteiras Tradicionais busca sensibilizar gestores e profissionais de saúde para que reconheçam as parteiras como parceiras na atenção à saúde da comunidade, promovendo ações para valorizar, apoiar, qualificar e articular o trabalho delas ao SUS.

Visa também resgatar e valorizar os saberes tradicionais, articulando-os aos científicos, considerando a riqueza cultural e da biodiversidade como elementos importantes para a produção de saúde, de novos conhecimentos e de tecnologias.

O projeto foi elaborado considerando a diversidade socioeconômica, cultural e geográfica do país. Levou em conta a adoção de diferentes modelos de atenção integral à saúde da mulher e da criança e a implementação de políticas públicas que atendam às especificidades de cada realidade, procurando considerar o princípio da equidade e resgatar a dívida histórica existente em relação às mulheres e às crianças assistidas por parteiras tradicionais.

Resultados do Projeto:

Aproximadamente 1.200 parteiras tradicionais e 560 profissionais de saúde foram capacitados desde o primeiro projeto desenvolvido pelo Ministério da Saúde. Foram contemplados os Estados do Acre, Amazonas, Amapá, Alagoas, Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Roraima e Tocantins, totalizando cerca de 100 municípios.

As capacitações ocorrem a partir da articulação de Estados e Municípios interessados na capacitação com o Ministério da Saúde, Grupo Curumim e Sociedade Brasileira de Pediatria.  Os interessados devem entrar em contato com as Coordenações de Saúde da Criança e Saúde da Mulher do Ministério da Saúde.

Para 2014, a meta é capacitar aproximadamente 250 parteiras.

Saúde baseada em evidências
Disque Saúde - Ouvidoria Geral do SUS
Ministério da Saúde - Governo Federal - Brasil