Script de estatística do portal - depende da habilitação de javascript.
Portal do Governo Brasileiro

Câncer de MAMA.

Portal da Saúde

Seminário em Brasília apresenta experiências exitosas realizadas pelo Conselho Empresarial Nacional de Prevenção ao HIV/Aids, em parceria com o Ministério da Saúde  

As experiências nacionais e internacionais de grandes empresas na prevenção ao HIV e aids no ambiente de trabalho são apresentadas em seminário realizado nesta terça-feira (17) em Brasília. As ações são desenvolvidas pelo Conselho Empresarial Nacional de Prevenção ao HIV/Aids (CEN AIDS), que tem como objetivo promover e ampliar a participação da iniciativa privada no combate e prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) e aids no ambiente de trabalho.

Fundado em 1998, o CEN AIDS é uma parceria do Ministério da Saúde com grandes empresas brasileiras para a sensibilização, mobilização e incentivo do setor empresarial na realização integrada de ações de redução da incidência do HIV no ambiente de trabalho.

Durante a abertura do evento, o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, destacou a importância desta parceria. “Este seminário é uma excelente oportunidade para debater um plano de trabalho com novas estratégias, que englobe, além da prevenção, a utilização das novas mídias para o combate da epidemia de aids”, afirmou o secretário. Ele citou três pontos importantes para ser desenvolvidos pela parceria: Enfrentamento da questão da discriminação - não só com relação a pessoas vivendo com HIV e aids,  mas também contra gays e lésbicas – ; disseminação do uso de preservativos; e a divulgação de  mensagens de prevenção, não apenas aos funcionários como também  aos  clientes e consumidores.

O diretor do Departamento de DSTs/aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, disse que a atuação do conselho tem sido fundamental na luta contra a aids no Brasil.  “A forma como o Brasil vem enfrentando  a epidemia tem sido um exemplo para outros países do mundo”, observou o diretor. Segundo ele, um exemplo deste sucesso é o  envolvimento de todos os segmentos da sociedade (governo federal, governos estaduais e gestores municipais, além de empresas privadas, universidades,  pesquisadores e ONGs).

Cabe ao conselho ampliar a participação das empresas privadas na elaboração, implantação e divulgação de políticas e programas de prevenção à aids. As Empresas Membros do CEN AIDS passam a ser instituídas por portaria do Ministério da Saúde.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) lançou, em junho de 2010, uma série de recomendações para promover ações de proteção à saúde do trabalhador. O documento foi aprovado na 99ª sessão da Conferência da OIT em Genebra. São princípios para orientar políticas e programas de responsabilidade social na gestão empresarial, voltados à prevenção das DST e aids no mundo do trabalho.

AIDS NO MUNDO - Segundo dados da OIT, a infecção pelo HIV afeta, sobretudo, pessoas em idade produtiva. Estima-se que nove em cada 10 pessoas vivendo com HIV sejam jovens adultos. De toda a população soropositiva, a maioria tem entre 15 e 49 anos, faixa etária que inclui a maior parte da mão de obra em atividade. Do surgimento da epidemia até 2005, um estudo da OIT aponta que 28 milhões de trabalhadores podem ter perdido suas vidas em consequência da aids.

PESQUISA - Estudo lançado em 2012 pelo Conselho Empresarial Nacional para a Prevenção ao HIV/Aids (CEN Aids), em parceria com o Ministério da Saúde e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), entrevistou 2.486 empresas de todas as regiões do país. O estudo teve como objetivo conhecer e avaliar ações direcionadas aos funcionários e mobilizações voltadas para a comunidade local.

De acordo com o levantamento, embora 68% das empresas pesquisadas reconheceram a importância de discutir o tema “doenças sexualmente transmissíveis (DST) e aids no ambiente de trabalho”, apenas 14% realizaram ações e programas sobre essas doenças nos últimos 12 meses de 2012. Levando em conta a projeção nacional da pesquisa, os 14% - que significam 82 mil empresas, com mais de 100 empregados - representam mais de seis vezes o percentual daquelas de menor porte (6,4%) e, além disso, têm um alcance de, aproximadamente, 11 milhões de empregados. Além do Ministério da Saúde, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) são parceiros estratégicos da iniciativa.

Por Nivaldo Coelho, da Agência Saúde.
Atendimento à Imprensa
(61) 3315 3580 e 3315-2005

Saúde baseada em evidências
Disque Saúde - Ouvidoria Geral do SUS
Ministério da Saúde - Governo Federal - Brasil