Script de estatística do portal - depende da habilitação de javascript.

Ministério da Saude SUS Governo Federal

O Ministério da Saúde é o órgão do Poder Executivo Federal responsável pela organização e elaboração de planos e políticas públicas voltados para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos brasileiros.

Bloco G - Esplanada dos Ministérios, Brasília - DF 70058-900 Telefone:(61) 3315-2425 | Disque 136 Ouvidoria Geral do SUS Horas: quinta-feira 08:00 – 18:00

Portal da Saúde

Data de Cadastro: 24/01/2017 as 21:01:37 alterado em 24/01/2017 as 21:01:37

Quatro estados (Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia e São Paulo) e o Distrito Federal investigam casos suspeitos da doença

 

O Ministério da Saúde enviou, nesta semana, uma equipe da Força Nacional do SUS para auxiliar no atendimento aos pacientes com suspeitas de febre amarela em Minas Gerais. Ao todo, são 10 pessoas no estado, entre médicos, enfermeiros e assistentes, que estarão disponíveis para dar assistência aos casos da doença. Os profissionais somam esforços junto às equipes de vigilância do Ministério da Saúde que estão no estado desde o início do mês.

Nesta terça-feira (24), o Ministério da Saúde registrou 438 casos suspeitos de febre amarela, sendo 89 mortes. Do total, 364 permanecem em investigação, 70 foram confirmados e quatro descartados. Das 89 mortes notificadas, 40 foram confirmadas e 49 permanecem em investigação. Os casos foram registrados em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo e Distrito Federal.

Minas Gerais é o estado com o maior número de registros até o momento. Foram 404 casos suspeitos em 40 municípios, incluindo casos notificados pelos estados da Bahia, Espírito Santo, São Paulo e Distrito Federal, com local provável de infecção em Minas Gerais. Do total de 66 casos confirmados, 37 evoluíram para óbitos. Outras 47 mortes continuam em investigação, incluindo um óbito notificado pelo Distrito Federal, com local provável de infecção em Minas Gerais. No total, são 84 óbitos notificados no estado. Para auxiliar na intensificação da imunização em Minas Gerais, o Ministério da Saúde já enviou ao estado 2,4 milhões de doses extras contra febre amarela. 

O Ministério da Saúde esclarece que acompanha todos os estudos e avaliações em andamento que analisam o surto de febre amarela em Minas Gerais. Até o momento, não há nenhuma evidência que associe o acidente de Mariana (MG) com os casos de febre amarela no estado de Minas Gerais.

O Espírito Santo notificou 22 casos em 14 municípios, sendo dois óbitos. Dos 22 registros, apenas um caso foi confirmado, que não evoluiu para óbito. Os outros 21 permanecem em investigação. Em janeiro, o Ministério da Saúde encaminhou mais de 1 milhão de doses extras para o estado realizar a vacinação em municípios que estão na divisa com áreas que tenham registros de casos.

A Bahia notificou sete casos da febre amarela, sendo que seis permanecem em investigação e um foi descartado. Não há registro de mortes. Os casos foram notificados em três municípios. O Ministério da Saúde enviou ao estado 400 mil doses extras para vacinação preventiva da população na área recomendada. 

O estado de São Paulo confirmou três mortes por febre amarela, em três municípios paulistas. Para intensificar a vacinação nas áreas de recomendação do estado de SP, o Ministério da Saúde enviou 700 mil doses da vacina. Além disso, já haviam sido distribuídas 88,3 mil doses para a vacinação de rotina. Parte do estado de São Paulo está dentro da Área de Recomendação de Vacina. O Distrito Federal notificou o Ministério da Saúde sobre a ocorrência de dois casos que já foram descartados. O DF recebeu 42 mil doses extras de vacina contra febre amarela.   

Confira também:

Ministério da Saúde tira dúvidas dos internautas sobre a Febre Amarela 

O Ministério da Saúde distribuiu, no mês de janeiro, 650 mil doses da vacina de febre amarela para todo o país, como parte da rotina de abastecimento do Calendário Nacional de Vacinação. Além das doses de rotina, foram enviadas, neste ano, um total de 4,9 milhões de doses extras para implementar as estratégias de vacina aos quatro estados com registros da doença e ao Distrito Federal. O estoque disponível no Ministério da Saúde é suficiente para atender a demanda do momento. 

HISTÓRICO – Em 2016, foram confirmados sete casos da doença, nos estados de Goiás (3), São Paulo (2) e Amazonas (2), sendo que cinco deles evoluíram para óbito. Atualmente, o Brasil tem registros apenas de febre amarela silvestre. Os últimos casos de febre amarela urbana (transmitida pelo Aedes aegypti) foram registrados em 1942, no Acre.

O Ministério da Saúde adota o esquema de duas doses da vacina Febre Amarela no Calendário Nacional, sendo uma dose aos noves meses de idade e um reforço aos quatro anos. 

A recomendação de vacinação para o restante do país continua a mesma: toda pessoa que reside em Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela e pessoas que vão viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata dentro dessas áreas, devem se imunizar. Os estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Espírito Santo e Rio de Janeiro estão fora da área de recomendação para a vacina.

É importante informar que a vacina contra a febre amarela é ofertada no Calendário Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e é enviada, mensalmente, para todo o país. Em 2016, o total distribuído foi de mais de 16 milhões de doses. A vacina é altamente eficaz e segura para o uso, a partir dos nove meses de idade, em residentes e viajantes a áreas endêmicas ou, a partir de seis meses de idade, em situações de surto da doença.

 

Por Amanda Mendes, da Agência Saúde

Atendimento à imprensa

(61) 3315.3580/ 2351/ 2745

Saúde baseada em evidências
Disque Saúde - Ouvidoria Geral do SUS
Ministério da Saúde - Governo Federal - Brasil