Alimentos processados

Alimentos processados

Alimentos processados são aqueles fabricados pela indústria a partir da adição de sal, açúcar ou outra substância a alimentos in natura para torna-los duráveis e mais agradáveis ao paladar.

Embora o alimento processado mantenha a identidade básica e a maioria dos nutrientes do alimento in natura, os ingredientes e os métodos de processamento utilizados na fabricação alteram a sua composição nutricional, deixando-o menos saudável.

A adição de sal ou açúcar, em geral em quantidades muito superiores às usadas em preparações culinárias, faz com que o consumo excessivo de alimentos processados esteja associado a doenças do coração, obesidade e outras doenças crônicas.

Além disso, a perda de água que ocorre na fabricação de alimentos processados e a eventual adição de açúcar ou óleo transformam alimentos com baixa ou média quantidade de calorias por grama – por exemplo, leite, frutas, peixe e trigo – em alimentos de alta densidade calórica– queijos, frutas em calda, peixes em conserva de óleo e pães. A alimentação com alta densidade calórica, por sua vez, está associada ao risco de obesidade.

O consumo de alimentos processados deve ser limitado a pequenas quantidades.

  • Exemplos
  •  

    Cenoura, pepino, ervilhas, palmito, cebola, couve-flor preservados em salmoura ou em solução de sal e vinagre;

  •  

    Extrato ou concentrados de tomate (com sal e ou açúcar);

  •  

    Frutas em calda e frutas cristalizadas;

  •  

    Carne seca e toucinho;

  •  

    Sardinha e atum enlatados;

  •  

    Queijos;

  •  

    Pães feitos de farinha de trigo, leveduras, água e sal.